Uma opinião sobre o governo Obama

Setembro 12, 2009

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, causou comoção mundial em sua campanha para a presidência, e com sua vitória. A sua maneira de fazer campanha já foi inovadora, com muito uso da internet e de linguagens “jovens”, e com muitas doações de pessoas físicas (facilitadas pela internet também). A expectativa sobre as mudanças que causaria foi grande, e continua grande.

Em 2001, ele era pouco conhecido, sendo ainda senador de Illinois (nos EUA parece que ao invés de deputados estaduais existem senadores- acho que é apenas um nome diferente). Mas já tinha idéias bem próximas das que ele defendeu na campanha: reagir de forma racional aos ataques terroristas, tentando entender porque as pessoas teriam coragem de fazer algo como aquilo (e incentivando os EUA a investirem no desenvolvimento das regiões pobres do mundo, para que as pessoas não fossem suscetíveis ao aliciamento de terroristas e outros criminosos). Uma visão muito humana, com muita compaixão, diplomacia e inteligência. Também já falava em sistema de saúde universal, para todos terem direito. E em uma regulação do sistema financeiro, especialmente da relação entre os financiadores e os devedores (exatamente onde a crise se originou).

Mal ele subiu no poder, e todos já se perguntavam: o que mudou? O que vai mudar?

As propostas de campanha de Obama eram ambiciosas e muitas delas influenciariam o mundo inteiro, assim como qualquer política americana, já que os EUA são um país muito influente, em vários aspectos. Algumas dessas propostas:
-começar negociações fortes com outras potências nucleares para o desarmamento nuclear;
-criação de empregos verdes e investimento em sustentabilidade ambiental;
-reforma do sistema de saúde, criando uma proteção universal, para todos indivíduos do país, e não apenas para os que contribuem;
-usar da diplomacia para acabar com as guerras do Oriente Médio e dar segurança ao mundo.

Passados 8 meses de sua eleição, muitas matérias de jornais já foram publicadas fazendo avaliações, de seus 100 dias de governo, de 6 meses, etc. Muita gente diz que ele fez pouco. Alguns dizem que ele é mais um exemplo de enganação, de políticos que chegam fazendo discurso de mudança e não mudam nada. Outros, como Patch Adams (o médico que impulsionou a idéia de “doutores da alegria”), acreditam que ele começou com poucas mudanças, nomeando pessoas não muito diferentes de seus antecessores, para fazer uma transição lenta, e no ano que vem começar mudanças mais profundas.

Temos que ver que um presidente não depende só de si mesmo. A reforma da saúde, por exemplo, enfrenta muita resistência entre políticos e entre a população dos EUA. Aquele país não está acostumado com idéias como ter saúde para todos. Sua cultura é bastante individualista.

Em outros assuntos, como as guerras do Oriente Médio, eu não sei direito qual o seu plano. Muita gente está morrendo, inclusive civis, no Afeganistão. Não entendi essa ofensiva no Afeganistão, e Obama sempre teve um discurso totalmente contrário à morte de civis pelo exército americano.

Devemos esperar mais, e com certeza Obama foi um grande avanço em relação a Bush. E mostrou um avanço da população também, porque votaram nele. Além de impulsionar o desejo de mudança que nosso planeta tanto precisa. Essa questão do Afeganistão me intriga. Me decepciona também. Tomara que ele comece a, cada vez mais, executar as propostas que tinha, porque eram muito boas propostas.

Veja mais aqui: http://noticias.uol.com.br/ultnot/internacional/2009/09/11/ult1859u1432.jhtm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: